Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Titi já volta

A Titi já volta

Férias na ilha de Tenerife

Roteiro e dicas

InShot_20230405_140145143.jpg

Em julho de 2022 passei uma semana de férias em Tenerife. Conheci quase toda a ilha e consegui conciliar uns dias mais relaxantes em praias com uns dias de maior aventura na natureza e no vulcão. 

A formação das ilhas Canárias  deveu-se a várias erupções de lava no fundo do mar. Desta forma, Tenerife é uma ilha de origem vulcânica e o vulcão Teide é o principal símbolo da ilha. Este vulcão de 3718 metros de altitude é o ponto mais alto de Espanha e encontra-se num cenário que parece de outro planeta.

Nesta ilha de contrastes é possível desfrutar de praias, piscinas, paisagens vulcânicas e parques naturais. A fauna e a flora são de uma enorme diversidade. O dragoeiro milenário é mais um símbolo da flora da ilha.

Chicharreros é o nome dado aos habitantes de Tenerife. Este nome é uma homenagem aos pescadores da capital que só podiam comer chicharro, o peixe mais barato naquela época. É nas várias vilas coloniais que se sente o espírito chicharrero.

InShot_20230405_140950698.jpg

 

Localização:

Tenerife é a maior ilha das Canárias e a ilha mais povoada de Espanha.

Localiza-se a 300 Km da costa africana, na região da Macaronésia, em pleno oceano Atlântico.

 

Quando ir:

Nas ilhas canárias o clima é ameno e não existem grandes oscilações de temperatura. As temperaturas nos meses mais frios variam entre os 16ºC e os 24ºC.

É um destino que pode ser visitado durante todo o ano, principalmente para quem procura natureza. De maio a outubro é também possível aproveitar as praias.

Existem diferenças climáticas entre o norte e o sul da ilha. O norte é mais ventoso e tem maior predominância de céu nublado. A zona sul é a que conta com mais horas de sol e um ambiente com menor humidade.

 

Transportes:

Tenerife tem dois aeroportos, um no norte e outro no sul da ilha. Existem voos diretos a partir de Lisboa (Vueling, TAP, Iberia) e do Porto (Ryanair).

Pode ser também útil chegar por um aeroporto e partir por outro, no caso de dividir o alojamento entre o norte e sul.

Alugar carro é a forma mais confortável e rápida de explorar a ilha. As estradas são boas e o preço dos combustíveis é invejável.

Aluguei antecipadamente um carro  com a empresa local Cabrera Medina e correu tudo muito bem. Foi o local mais simples onde já aluguei carro. Não cobram por extras e já tem incluído no preço o seguro sem franquia.

InShot_20230405_141623697.jpg

 

Alojamento:

A melhor zona para ficar alojado depende daquilo que procura fazer na ilha.

A Costa Adeje ou Los Cristianos serão a melhor opção para quem pretende apenas descansar e aproveitar as praias, uma vez que é nestas zonas que se encontram as melhores praias da ilha.

A zona norte da ilha é ideal para quem quer conhecer as várias vilas coloniais e também explorar o parque nacional do Teide. No norte as praias são de areia preta e existem piscinas naturais. O tempo nesta zona é também mais variável.

Na minha viagem, como queria aproveitar as duas vertentes, dividi a estadia entre Puerto de La Cruz e a Costa Adeje. Foi sem dúvida a melhor forma para conseguir explorar praticamente toda a ilha.

Na Costa Adeje fiquei alojada no hotel GF Fañabe e em Puerto de La Cruz no hotel Puerto Palace. Em ambos a experiência foi bastante positiva.

InShot_20230405_141932769.jpg

 

Resumo do meu roteiro em Tenerife:

 

Dia 1: Voo direto pela Vueling

Cheguei a Tenerife ao início da noite. Apenas fiz o percurso até à Costa Adeje onde fiquei alojada nas primeiras três noites.

InShot_20230405_142100077.jpg

 

Dia 2: Costa Adeje

Um dia inteiramente dedicado ao relax nas praias da zona mais exclusiva da ilha. Passei a manhã na Playa del Duque e a tarde na Playa Fañabe. Gostei mais da primeira praia.

Ao final da tarde caminhei até Puerto Colon.

InShot_20230405_142640326.jpg

 

Dia 3: Masca, Los Gigantes e Playa de la Arena

Iniciei a manhã num miradouro com uma vista lindíssima de Masca. Não desci até à aldeia.

Depois fui explorar Los Gigantes, onde passei pela Playa los Guíos e fiz um passeio de barco. Fiz este passeio pela empresa Marítima Acantilados, que incluía observação de golfinhos e tempo para tomar banho na baía de Masca.

Depois do passeio fui aproveitar as piscinas naturais e terminei o dia na Playa de la Arena.

InShot_20230405_143511771.jpg

 

Dia 4: Los Cristianos, Parque Nacional do Teide e Puerto de La Cruz

Neste dia deixei o alojamento na Costa Adeje e passei a manhã na Playa de las Vistas, em Los Cristianos.

Durante a tarde comecei a explorar o Parque Nacional do Teide. A primeira paragem foi no Mirador Las Narices del Teide. Depois fiz o trilho Roques de García e segui até ao alojamento em Puerto de La Cruz.

InShot_20230406_140118928.jpg

 

Dia 5: La Orotava, Garachico e Icod de los Vinos

Neste dia estava programado subir até ao pico do vulcão. Como fui avisada que o teleférico não iria funcionar nesse dia, tive de alterar o roteiro.

Fui conhecer várias vilas do norte de Tenerife. Comecei por percorrer as adoráveis ruas de La Orotava. Depois fui até Garachico onde aproveitei as piscinas naturais. E ainda visitei o dragoeiro milenário em Icod de los Vinos.

O dia terminou com um incrível pôr do sol acima das nuvens no miradouro de Mataznos. No início da noite ainda me aventurei a subir o monte para observação de estrelas junto ao Teide.

InShot_20230406_141107486.jpg

 

Dia 6: Anaga, Playa de las Teresitas, Santa Cruz de Tenerife e San Cristóbal de La Laguna

Durante a manhã explorei a região de Anaga, onde aproveitei as vistas dos miradouros e fiz o trilho sendero de los sentidos.

Depois fui até à Playa de las Teresitas onde era suposto ter passado algumas horas. Como o vento era insuportável, algo que é comum naquele local, não aguentei mais de uma hora.

Desta forma, fiquei com mais tempo para ir conhecer a capital Santa Cruz de Tenerife e a cidade San Cristóbal de la Laguna.

InShot_20230406_143021568.jpg

 

Dia 7: Puerto de la Cruz e Parque Nacional do Teide

Passei a manhã na Playa Jardín, em Puerto de la Cruz. Durante a tarde tive a incrível experiência de subir ao vulcão de teleférico e percorrer o trilho até ao Mirador Pico Viejo.

InShot_20230406_143347899.jpg

 

Dia 8: Puerto de La Cruz e voo de regresso pela Vueling

Aproveitei a manhã para explorar as ruas de Puerto de la Cruz. Ao início da tarde fiz a viagem de regresso a Lisboa.

InShot_20230406_144735994.jpg

 

A descrição completa dos locais que visitei neste roteiro encontra-se no guia sobre o que ver e fazer na ilha de Tenerife.

 

Experiências na ilha de Tenerife:

Tenerife é um destino ideal para quem procura conciliar uns dias de praia e de natureza. Para quem gosta de umas férias com mais aventura, destaco aquelas que considero ser experiências imperdíveis neste destino.

 

  • Visitar o vulcão Teide
  • Trilhos no Parque Nacional doTeide
  • Observação noturna de estrelas no Teide
  • Passeio de barco até Los Gigantes e nadar na baía de Masca
  • Trilhos na região de Anaga
  • Desfrutar das melhores praias do oeste e sul da ilha
  • Piscinas naturais no norte da ilha

 

As minhas conclusões sobre Tenerife:

Tenerife surpreendeu pela diversidade de paisagens que oferece. Percorri várias cidades de estilo colonial entre uns mergulhos nas praias ou em piscinas naturais. Caminhei numa floresta laurissilva e fiquei encantada com as paisagens vulcânicas.

Considero que é um destino para quem gosta de conciliar a parte cultural com praias e caminhadas de natureza. As ilhas Canárias não são as ilhas Baleares e quem procura Tenerife apenas para ir à praia pode ficar desiludido, principalmente se ficar no norte da ilha onde a areia é escura e com pedras à mistura. Contudo, as piscinas naturais são uma excelente atração desta ilha. Na minha opinião, é na zona sul e oeste que se encontram as melhores praias.

A região de Anaga é mais outro tesouro de Tenerife onde a imponente vegetação verde contrasta com as paisagens desertas.

Não desci totalmente até Masca e conduzi apenas um pouco da vertiginosa estrada até ao miradouro com vista para a aldeia. Mais tarde, num passeio de barco a partir de Los Gigantes, tive a oportunidade de nadar na sua baía de águas translúcidas e ainda observar golfinhos no seu habitat.

O que mais me fascinou neste destino foram as espetaculares paisagens em redor do vulcão Teide. O pico mais alto de Espanha é um local incrível e único nesta ilha. Em qualquer um dos vários trilhos que existem, o contacto com as impressionantes paisagens vulcânicas do parque nacional do Teide é sensacional. Passei pelo parque num total de três vezes, em dias e horários diferentes para realizar várias experiências. Em todas elas fiquei encantada com os miradouros e a imensidão das paisagens.

Ficou a vontade de explorar outras ilhas das Canárias.

 

Ler também: Guia sobre o que ver e fazer na ilha de Tenerife

 

Boa Viagem!

Titi

 

 

Guia sobre o que ver e fazer na ilha de Tenerife

Paisagens vulcânicas, vilas coloniais e praias

InShot_20230404_143210625.jpg

 

A ilha de Tenerife surpreendeu pelas suas paisagens vulcânicas, natureza e vilas de estilo colonial. São várias as experiências que pode fazer nesta ilha de contrastes ao desfrutar de praias, piscinas naturais, formações vulcânicas milenares e de uma floresta Laurissilva. Descrevo neste guia o que pode ver e fazer numa viagem pela ilha dos chicharreros.

 

Teide

InShot_20230329_135652651.jpg

O Teide é o pico mais alto de Espanha. É o terceiro vulcão mais alto do planeta e encontra-se adormecido. As paisagens podem fazer pensar que estamos em outro planeta. Visitar este local é obrigatório num roteiro em Tenerife.


Trilhos no Parque Nacional do Teide:

InShot_20230329_135936856.jpg

Existem duas formas de aceder ao topo do vulcão. Para os amantes de caminhadas existe um trilho de 9 Km desde Montaña Blanca. Demora cerca de 6 horas até La Rambleta e está classificado como sendo difícil (trilho nº7).

InShot_20230329_140337132.jpg


A opção física menos exigente é o acesso pelo teleférico desde a estação base (altitude de 2,356 m) até La Rambleta (altitude de 3,555 m). O bilhete para o teleférico deve ser comprado online e com antecedência. É possível alterar ou cancelar até 1 hora antes do horário escolhido. O embarque começa cerca de 20 minutos antes e a viagem são oito minutos. O bilhete de ida e volta custa 38€ por adulto e 19€ para crianças dos 3 aos 13 anos e deve ser adquirido no site oficial.

InShot_20230329_140622311.jpg

A permanência na estação superior (La Rambleta) tem o limite máximo de 1 hora. A partir daqui podemos simplesmente ficar a apreciar a grandiosa vista ou fazer uma caminhada. Existem 3 opções de trilhos:

  • Telesforo Bravo (trilho nº10): permite aceder ao pico do vulcão com 3718 metros de altitude. Contudo, o acesso ao pico é condicionado a 200 pessoas por dia pelo que é necessário fazer um pedido online com cerca de 3 meses de antecedência para conseguir reserva. Este pedido é grátis e pode ser feito neste site

 

  • Mirador La Fortaleza (trilho nº 11): este trilho conduz a um miradouro com vista para o lado norte da ilha e o mar de nuvens.

 

  • Mirador Pico Viejo (trilho nº 12): com acesso a um miradouro com vista para o sul da ilha, a cratera do pico velho e no horizonte as ilhas de La Palma, El Hierro e La Gomera.

 

Em qualquer um destes percursos vulcânicos é possível observar os rios de lava solidificados e sentir o cheiro a enxofre. É indescritível a imensidão, magia e silêncio deste local único em Tenerife.

InShot_20230329_141340460.jpg

Trilho Roques de García:

As Cañadas del Teide são uma das paisagens mais impressionantes do parque devido às rochas de várias formas. Trata-se de uma grande caldeira com cerca de 17 Km de diâmetro. São vários os trilhos que existem nesta zona, mas é o trilho Roques de García que é um dos mais percorridos.

É um percurso circular de 3,3 Km que tem início junto ao Mirador de la Ruleta. É uma caminhada fácil que pode ser realizada com crianças. As formações rochosas mais famosas são o roque cinchado e a catedral. O roque cinchado é uma das formações rochosas mais emblemáticas da ilha e a sua imagem com o Teide por trás aparecia na nota de mil pesetas.

InShot_20230329_141901501.jpg

 

Recomendações para visitar o vulcão Teide:

É habitual o vento não permitir o funcionamento do teleférico. É por isso que aconselho a não deixarem esta experiência para os últimos dias da viagem.

Aconselho a levarem chapéu de sol, protetor solar, água, um casaco e calçado adequado. Próximo do vulcão está sempre mais frio e os percursos têm pavimento irregular, pelo que uns ténis de montanha são os mais aconselhados.

Devido à altitude não é permitido o acesso a pessoas com problemas cardiovasculares, grávidas e crianças menores de 3 anos. Vi pelo menos duas pessoas a desmaiar porque as diferenças de altitude são notáveis.

 

Observatório astronómico do Teide:

As Canárias, Chile e Hawai são considerados os três melhores lugares para observar o céu. Em Tenerife encontra-se o maior observatório solar do mundo. A 2390 metros de altitude este observatório conta com telescópios solares profissionais.

Quem pretender ter uma experiência de astronomia existem visitas guiadas por marcação durante o dia no observatório. À noite também existem tours com passeios e telescópios para contemplar o céu próximo do Teide.   

InShot_20230329_142231612.jpg

 

Miradouros:

No caminho para o parque nacional do Teide existem vários miradouros acessíveis de carro e que permitem apreciar espetaculares vistas.

InShot_20230329_142758776.jpg

Destaco alguns miradouros que merecem uma paragem.

  • Mirador de La Ruleta: junto ao início do trilho Roques de García. Para quem não pretenda fazer o trilho, as vistas deste miradouro complementam a experiência.

 

  • Mirador de las Minas de San José: não é apenas um miradouro, mas também um local onde temos apenas paisagem vulcânica em redor. Parte daqui um trilho para o acesso ao vulcão.

 

  • Mirador de La Tarta: é o miradouro que permite observar as diferentes camadas geológicas e perceber as diferentes erupções vulcânicas que aconteceram. As diferentes cores da terra correspondem a uma erupção diferente.

 

  • Mirador de Ayosa: com vista para o vale de Orotava e a imagem do Teide ao fundo. Um bom local para assistir ao pôr do sol.

 

  • Mirador de Mataznos: um miradouro com alguma vegetação e vista panorâmica sobre o mar de nuvens da costa norte e o vulcão Teide de lado. A imagem do pôr do sol acima das nuvens é incrível.

 

La Orotava

InShot_20230330_140526792.jpg

Uma povoação histórica em que o seu centro foi declarado conjunto histórico-artístico devido aos seus edifícios do século XVI. As ruas são inclinadas e a cada esquina existe um edifício para admirar. As casas são coloridas e com as típicas varandas de madeira.

Passear nas ruas e admirar a arquitetura e o ambiente é a melhor forma de conhecer esta povoação.

Casa de los Balcones: é o monumento mais famoso de La Orotava. É um exemplo da arquitetura senhorial das Canárias. Tem uma exposição sobre as tradições da cidade. A entrada tem um custo de 5€.

Museu dos Tapetes: encontra-se em frente à Casa de los Balcones. Homenageia os típicos tapetes de flores e areias do Teide.

Igreja da Conceição: uma igreja de arquitetura barroca com destaque para a sua cúpula.

Praça da Constituição: uma praça florida e colorida onde os habitantes convivem.

Câmara municipal: um edifício com fachada rosa e decorado com motivos que resumem a história da vila.

InShot_20230330_140359987.jpg

 

Puerto de la Cruz

InShot_20230330_140841552.jpg

Uma cidade costeira no norte da ilha com uma grande oferta de hotéis, restaurantes e lojas. É por isso o local mais escolhido para alojamento no norte. As suas praias são de areia escura e o tempo é mais incerto devido ao fenómeno do mar de nuvens.

Passeio marítimo e centro histórico: merecem uma visita de dia e à noite.

Calle Agatha Christie: é uma rua que homenageia a passagem da escritora por Tenerife, onde se inspirou na criação de algumas das suas obras. O Paseo de los Cipreses passou a chamar-se Calle Agatha Christie. É uma pequena rua com degraus coloridos, flores e árvores. Cada degrau nomeia um livro da escritora.

Playa Jardín: é um complexo balnear da qual fazem parte três praias.

Castelo de San Felipe: uma fortaleza que fez parte da história da ilha na defesa dos ataques de piratas.

Ermida de San Telmo: é uma homenagem ao padroeiro dos mineiros.

Lago Martiánez: é uma estrutura com sete piscinas de água salgada. A entrada é paga e costuma estar lotado uma vez que a maioria das praias ali ao lado têm mais pedra do que areia.

Loro Parque: é um jardim zoológico que já foi considerado o melhor do mundo. Um local a visitar, principalmente para quem viaja com crianças.

InShot_20230330_141648097.jpg

 

San Cristóbal de La Laguna

InShot_20230330_142000334.jpg

Foi a primeira capital da ilha e atualmente é considerada uma cidade património da humanidade pela UNESCO.

A arquitetura colonial, o seu centro histórico e as ruas lineares e pedonais marcam esta cidade repleta de palácios, igrejas e casas senhoriais.

A melhor forma de conhecer La Laguna é percorrendo a pé as ruas históricas e praças, com destaque para a Plaza del Adelantado, catedral, igreja del Cristo, palácio Salazar, palácio Nava e os conventos de Santa Catalina e de Santa Clara.

 

Santa Cruz de Tenerife

No passado foi uma vila de pescadores que se desenvolveu e tornou-se a capital da ilha. Esta cidade costeira possui o principal porto comercial e de passageiros da ilha. Tem vários jardins e praças, e é mundialmente conhecida pelo seu carnaval.

InShot_20230330_142414778.jpg

São várias as atrações desta cidade chicharrera com várias ruas comerciais.

Auditório de Tenerife Adán Martín: é considerado o edifício mais moderno das Canárias. Ao seu lado, junto ao mar existe uma homenagem com rochas pintadas com o retrato de músicos. 

Castelo de San Juan Batista: uma antiga fortaleza conhecida como castelo nero.

Parque Marítimo César Manrique: um complexo balnear com piscinas e cascatas artificiais.

Mercado Nuestra Señora de África: um mercado municipal com estilo colonial.

Jardim Botânico Palmetum: reúne a maior coleção de palmeiras da União Europeia, que aqui sobrevivem devido ao clima da ilha.

Museu Natureza e Arqueologia

Museu Tenerife Espacio de las Artes

 

Anaga

InShot_20230330_142702193.jpg

No norte da ilha encontra-se o parque rural de Anaga, uma reserva da biosfera.

É a zona verde da ilha que contrasta com as paisagens vulcânicas. É por isso considerada o pulmão verde da ilha, com 14.500 hectares e espécies de flora e fauna únicas. E estas características estão relacionadas com o microclima que acontece nesta zona.

Vários miradouros, falésias e uma floresta Laurissilva fazem parte desta região que é um paraíso para os amantes de trilhos.

Miradouros:

Esta região tem vários miradouros imperdíveis. Como é uma zona com um clima muito particular, o mais comum é estar nevoeiro. Em dias menos nublados a vista compensa e merece uma paragem.

  • Mirador de Jardina: com vista para o vale de La Laguna.
  • Mirador Cruz del Carmen: com vista para o vulcão Teide.
  • Mirador Pico del Inglés: com vista até à cidade de Santa Cruz e ilhas Gran Canária e La Palma.

InShot_20230330_142920286.jpg

Camino Viejo: 

Antes do miradouro Pico del Inglés, existe uma estrada sem saída que merece ser apreciada por ter sido decorada pela natureza. Um caminho estreito com muros altos, cobertos de musgo e ramos de árvores, que se erguem formando um arco verde. É um autêntico postal da natureza.

InShot_20230330_143023899.jpg

Sendero de los Sentidos:

Em plena floresta Laurissilva, este trilho circular é o mais conhecido e fácil na região. Tem início junto ao centro de visitantes em Cruz del Carmen e existem 3 trajetos que totalizam 1,3 Km.

No passado foi um caminho real que ligava Anaga a La Laguna. Este trilho coloca todos os sentidos em alerta para apreciar a natureza. Até existem exercícios para fazer ao longo do percurso.

InShot_20230330_144600386.jpg

 

Icod de los Vinos

InShot_20230331_140944962.jpg

Nesta localidade costeira, no norte da ilha, é possível observar um dos seres vivos mais antigos do planeta, o dragoeiro milenário.

O centro histórico foi declarado bem de interesse cultural e é também uma zona que está ligada à produção de vinho.

Dragoeiro milenário: tem entre 800 e 1000 anos e é a maior e mais antiga espécie viva de dragoeiro. É um dos símbolos de Tenerife e foi declarado Monumento Nacional. É possível visitá-lo no Parque del Drago onde a entrada tem o custo de 5€.

Plaza Andrés de Lorenzo Cáceres: é uma praça central com a igreja de San Marcos e um miradouro com vista para o dragoeiro. É daqui que é possível ver o dragoeiro de forma gratuita.

Cueva del viento: é mais uma atração natural por ser considerado o quinto tubo vulcânico mais longo do mundo. A entrada tem um custo de 20€.

InShot_20230331_141324196.jpg

 

Garachico

InShot_20230331_141658774.jpg

Uma povoação com uma história marcante. Em 1706 o vulcão Trevejo destruiu esta vila que tinha o mais importante porto comercial da ilha.

Parque da Porta de Terra: no centro do parque encontra-se uma referência à história da cidade, uma porta de pedra que simboliza a antiga entrada do porto.

El Caletón ou El Charco de Garachico: são piscinas naturais que se formaram pela lava do vulcão Trevejo. São a principal atração desta vila.

Castelo de San Miguel: uma fortaleza do século XVI que serviu como defesa do porto.

InShot_20230331_142121701.jpg

 

Masca

InShot_20230331_142654352.jpg

Esta aldeia situa-se num promontório rochoso. Fica a 750 metros acima do nível do mar, num vale entre falésias. O acesso é por uma estrada vertiginosa, estreita e cheia de curvas desde Santiago del Teide ou Buenavista Norte. Também existe um trilho que desce o barranco até ao mar. São 6 Km que demoram cerca de 3 horas.

No topo da montanha existe um miradouro com vistas espetaculares sobre os barrancos desta aldeia.

InShot_20230331_143106694.jpg

  

Los Gigantes

InShot_20230331_144304953.jpg

No extremo oeste da ilha, em Los Gigantes, é possível observar uma das paisagens mais famosas da ilha.

Penhascos Los Gigantes:

Os penhascos são enormes paredes de rocha vulcânica que em alguns pontos excedem os 600 metros. A sua cor escura está relacionada com a lava solidificada.

Os Guanches (arborígenes das ilhas Canárias) acreditavam que os penhascos marcavam o fim do mundo por lembrarem figuras humanas.

Esta paisagem natural única pode ser apreciada por terra a partir do Porto de Santiago ou no mar através de um passeio de barco.

Um passeio de barco permite contemplar a paisagem e ainda avistar golfinhos em alto mar com os penhascos ao fundo. Alguns passeios ainda incluem a oportunidade de nadar na baía de Masca, próximo de formações rochosas incríveis.

Playa los Guios: uma praia de areia negra que está protegida pelos penhascos.

Piscinas naturais: existem várias nesta zona da ilha. O seu acesso só é fácil com calçado aquático adequado.

InShot_20230331_144203999.jpg

 

Costa Adeje

InShot_20230331_230529405.jpg

Situada no sul, a Costa Adeje é considerada a zona mais exclusiva da ilha. Aqui encontram-se praias e lojas de marcas internacionais.

É a zona da ilha com o clima mais ameno durante todo o ano e conta com várias cadeias de hotéis e restaurantes.

O passeio junto à costa, com restaurantes e praias, é o local ideal para fazer caminhadas de dia e à noite.

Centros comerciais: existem vários e apostam essencialmente nas marcas de luxo.

Playa Fañabé: tem um extenso areal e boas condições para nadar.

Playa del Duque: uma praia mais pequena e com água azul turquesa.

Siam Park: é considerado o melhor parque aquático do mundo. Recomendado a quem gosta de adrenalina.

InShot_20230331_230411216.jpg

 

Los Cristianos

É considerado o principal centro turístico no sul da ilha de Tenerife. Esta zona encontra-se repleta de hotéis, restaurantes e lojas.

Do seu porto partem os ferries para a ilha La Gomera.

Playa Las Vistas: uma praia de areia dourada que me pareceu ser uma das melhores praias da ilha.

InShot_20230331_231112838.jpg

 

Praias

 De acordo com a minha experiência na ilha de Tenerife, destaco as melhores praias por zonas. Sem dúvida que as melhores praias se situam no sul da ilha, onde o clima é também mais agradável.

 

Oeste e Sul:

InShot_20230331_233850747.jpg

  • Playa los Guíos: uma pequena praia protegida pelos penhascos, em Los Gigantes, e com areia negra.

 

  • Playa La Arena: uma praia de areia negra próxima de Los Gigantes, com palmeiras e mar pouco profundo.

 

  • Playa del Duque: numa das zonas mais exclusivas da illha, na Costa Adeje. Com restaurantes e bares, é um excelente local para ver o pôr do sol.

 

  • Playa Fañabé: com um extenso areal, na Costa Adeje. Tem boas condições para nadar.

 

  • Playa de las Vistas: é a praia mais frequentada em Los Cristianos. Com areia branca e mar calmo e transparente. Apesar de ser uma praia artificial, foi tão bem feita que é na minha opinião a melhor praia da ilha.

 

Norte:

InShot_20230331_232202805.jpg

  • Playa de las Teresitas: é uma praia artificial com areia dourada do Saara e água cristalina. A praia tem um ar paradisíaco com palmeiras. Contudo, é uma praia muito ventosa e onde a água do mar fica no máximo pelos joelhos. Será apenas uma boa opção para dias menos ventosos.

 

  • Playa Jardín: é um complexo com três praias de areia negra (Praia del Castillo, Praia del Charcón e Praia de Punta Brava). Estão ligadas por um passeio com lojas e restaurantes. É a melhor praia de Puerto de La Cruz. É recomendado o uso de calçado aquático porque o acesso ao mar tem pedras.

 

Está a planear uma viagem a Tenerife e quer saber mais informações sobre a ilha? Nãi deixe de ler o post onde partilho o meu roteiro e outras dicas em Tenerife.

Ler também: Férias na ilha de Tenerife

 

Boa viagem!

Titi