Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Titi já volta

A Titi já volta

A vila dos barcos com olhos e a mais bonita gruta de Malta

Dia 5: Marsaxlokk, Gruta Azul e Sliema

 

O dia amanheceu com muitas nuvens e a probabilidade de chuva era grande, pelo que sabia que poderia ter de eliminar alguns pontos do roteiro programado.

 

InShot_20211119_164002707.jpg

 

Fui visitar Marsaxlokk que é a principal vila piscatória de Malta. Para tal, fui de autocarro até Valletta onde depois apanhei o autocarro nº81 até Marsaxlokk.

 

20211014_103619.jpg

 

Saí do autocarro na praça principal da vila, próximo da igreja dedicada a Nossa Senhora de Pompeia.

 

20211014_103702.jpg

 

A marginal junto ao porto é a principal atração desta tradicional vila de pescadores.

 

20211014_104007.jpg

 

Percorri toda a marginal onde apreciei o porto de pesca com os tradicionais barcos coloridos. São estas embarcações que dão vida e cor ao cais e que mais caracterizam a vila.

Estes barcos chamam-se luzzu e as suas cores vivas contrastam com o azul do mar. Têm um par de olhos, o olho de Hórus, que os pescadores acreditam que os protege em alto-mar e afasta a má sorte.

 

20211014_110907.jpg

 

A vila estava muito calma, até porque o dia não estava muito convidativo a passeios ao ar livre. Além disso, é ao Domingo que os turistas costumam visitar Marsaxlokk por se realizar um mercado de peixe.

 

20211014_112033.jpg

 

20211014_112345 (2).jpg

 

Gostei bastante de visitar Marsaxlokk com o seu pitoresco porto.

Estava previsto ir visitar de barco a piscina de São Pedro que se situa a 3 Km desta vila. Trata-se de uma piscina natural que resultou de um colapso da falésia com uma abertura semi-circular. Como o tempo não estava propício a banhos, excluí esta atração do meu roteiro.

 

No início da tarde fui visitar a Gruta Azul. Como de autocarro era cerca de uma hora de viagem, acabei por ir de bolt e só demorei vinte minutos até ao miradouro de onde é possível apreciar esta beleza natural.

A gruta azul é considerada uma das principais atrações naturais de Malta. Em maltês chama-se il-Hneja e os britânicos deram-lhe o nome de Gruta Azul. Este arco foi formado pela erosão natural de ventos e ondas até formar uma grande saliência natural assente num pedestral de rocha.

 

20211014_115630.jpg

 

Existem passeios de barco a partir de Wied iz-Zurrieq, onde é possível entrar pelo arco para ver as seis grutas interligadas. Para quem como eu não pretenda fazer o passeio de barco, existe um miradouro onde é possível apreciar a fantástica vista sobre o arco.

Em dias de sol, a água costuma ter uma tonalidade azul-celeste brilhante quando a luz reflete sobre a areia. Mesmo num dia mais sombrio e de chuva, não deixa de ser um bonito arco inserido numa  magnífica paisagem.

 

20211014_120055.jpg

 

Depois regressei de Bolt até Sliema onde passei o resto da tarde a apreciar esta zona.

Sliema, localizada a oeste de Valletta, é considerada a principal faixa turística de Malta. Com o crescimento do turismo e proximidade da capital, tornou-se uma das maiores opções turísticas da ilha.

O que mais gostei em Sliema foi de percorrer o passeio junto à costa com vários hotéis, restaurantes, bares e lojas. E foi por aqui que andei durante a tarde. Quando começava a chover entrava em lojas ou centros comerciais.

Ao longo da marginal existem ofertas de vários passeios turísticos e o serviço de ferry até Valletta. Na marginal de Sliema é possível obter uma boa perspetiva de Valletta.

 

20211014_143303.jpg

 

Em Sliema existe o Forte Tigne que protegia a entrada do porto. É um local que costuma ser recomendado para observar o pôr-do-sol. Mas neste dia o sol decidiu não aparecer.

À noite a marginal está sempre iluminada.

Nesta noite escolhi o restaurante Tiffany`s Bistro para jantar. Mais uma excelente opção gastronómica na zona de Sliema.

 

InShot_20211120_165026640.jpg

 

Leia também:

          Dia 1 - O início da viagem a Malta

          Dia 2 - O paraíso da Lagoa Azul

          Dia 3 -  A encantadora Ilha de Gozo

          Dia 4 - Sentir a alma da capital Valletta e das Três Cidades

          Dia 6 - A medieval Mdina, a história de Rabat e a melhor praia de Malta

          Dia 7 - A fascinante Vila do Popeye e as praias do norte da ilha de Malta

 

Subscreva o blog e acompanhe os diários desta viagem!

Titi

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.