Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Titi já volta

A Titi já volta

Férias na ilha de Tenerife

Roteiro e dicas

InShot_20230405_140145143.jpg

Em julho de 2022 passei uma semana de férias em Tenerife. Conheci quase toda a ilha e consegui conciliar uns dias mais relaxantes em praias com uns dias de maior aventura na natureza e no vulcão. 

A formação das ilhas Canárias  deveu-se a várias erupções de lava no fundo do mar. Desta forma, Tenerife é uma ilha de origem vulcânica e o vulcão Teide é o principal símbolo da ilha. Este vulcão de 3718 metros de altitude é o ponto mais alto de Espanha e encontra-se num cenário que parece de outro planeta.

Nesta ilha de contrastes é possível desfrutar de praias, piscinas, paisagens vulcânicas e parques naturais. A fauna e a flora são de uma enorme diversidade. O dragoeiro milenário é mais um símbolo da flora da ilha.

Chicharreros é o nome dado aos habitantes de Tenerife. Este nome é uma homenagem aos pescadores da capital que só podiam comer chicharro, o peixe mais barato naquela época. É nas várias vilas coloniais que se sente o espírito chicharrero.

InShot_20230405_140950698.jpg

 

Localização:

Tenerife é a maior ilha das Canárias e a ilha mais povoada de Espanha.

Localiza-se a 300 Km da costa africana, na região da Macaronésia, em pleno oceano Atlântico.

 

Quando ir:

Nas ilhas canárias o clima é ameno e não existem grandes oscilações de temperatura. As temperaturas nos meses mais frios variam entre os 16ºC e os 24ºC.

É um destino que pode ser visitado durante todo o ano, principalmente para quem procura natureza. De maio a outubro é também possível aproveitar as praias.

Existem diferenças climáticas entre o norte e o sul da ilha. O norte é mais ventoso e tem maior predominância de céu nublado. A zona sul é a que conta com mais horas de sol e um ambiente com menor humidade.

 

Transportes:

Tenerife tem dois aeroportos, um no norte e outro no sul da ilha. Existem voos diretos a partir de Lisboa (Vueling, TAP, Iberia) e do Porto (Ryanair).

Pode ser também útil chegar por um aeroporto e partir por outro, no caso de dividir o alojamento entre o norte e sul.

Alugar carro é a forma mais confortável e rápida de explorar a ilha. As estradas são boas e o preço dos combustíveis é invejável.

Aluguei antecipadamente um carro  com a empresa local Cabrera Medina e correu tudo muito bem. Foi o local mais simples onde já aluguei carro. Não cobram por extras e já tem incluído no preço o seguro sem franquia.

InShot_20230405_141623697.jpg

 

Alojamento:

A melhor zona para ficar alojado depende daquilo que procura fazer na ilha.

A Costa Adeje ou Los Cristianos serão a melhor opção para quem pretende apenas descansar e aproveitar as praias, uma vez que é nestas zonas que se encontram as melhores praias da ilha.

A zona norte da ilha é ideal para quem quer conhecer as várias vilas coloniais e também explorar o parque nacional do Teide. No norte as praias são de areia preta e existem piscinas naturais. O tempo nesta zona é também mais variável.

Na minha viagem, como queria aproveitar as duas vertentes, dividi a estadia entre Puerto de La Cruz e a Costa Adeje. Foi sem dúvida a melhor forma para conseguir explorar praticamente toda a ilha.

Na Costa Adeje fiquei alojada no hotel GF Fañabe e em Puerto de La Cruz no hotel Puerto Palace. Em ambos a experiência foi bastante positiva.

InShot_20230405_141932769.jpg

 

Resumo do meu roteiro em Tenerife:

 

Dia 1: Voo direto pela Vueling

Cheguei a Tenerife ao início da noite. Apenas fiz o percurso até à Costa Adeje onde fiquei alojada nas primeiras três noites.

InShot_20230405_142100077.jpg

 

Dia 2: Costa Adeje

Um dia inteiramente dedicado ao relax nas praias da zona mais exclusiva da ilha. Passei a manhã na Playa del Duque e a tarde na Playa Fañabe. Gostei mais da primeira praia.

Ao final da tarde caminhei até Puerto Colon.

InShot_20230405_142640326.jpg

 

Dia 3: Masca, Los Gigantes e Playa de la Arena

Iniciei a manhã num miradouro com uma vista lindíssima de Masca. Não desci até à aldeia.

Depois fui explorar Los Gigantes, onde passei pela Playa los Guíos e fiz um passeio de barco. Fiz este passeio pela empresa Marítima Acantilados, que incluía observação de golfinhos e tempo para tomar banho na baía de Masca.

Depois do passeio fui aproveitar as piscinas naturais e terminei o dia na Playa de la Arena.

InShot_20230405_143511771.jpg

 

Dia 4: Los Cristianos, Parque Nacional do Teide e Puerto de La Cruz

Neste dia deixei o alojamento na Costa Adeje e passei a manhã na Playa de las Vistas, em Los Cristianos.

Durante a tarde comecei a explorar o Parque Nacional do Teide. A primeira paragem foi no Mirador Las Narices del Teide. Depois fiz o trilho Roques de García e segui até ao alojamento em Puerto de La Cruz.

InShot_20230406_140118928.jpg

 

Dia 5: La Orotava, Garachico e Icod de los Vinos

Neste dia estava programado subir até ao pico do vulcão. Como fui avisada que o teleférico não iria funcionar nesse dia, tive de alterar o roteiro.

Fui conhecer várias vilas do norte de Tenerife. Comecei por percorrer as adoráveis ruas de La Orotava. Depois fui até Garachico onde aproveitei as piscinas naturais. E ainda visitei o dragoeiro milenário em Icod de los Vinos.

O dia terminou com um incrível pôr do sol acima das nuvens no miradouro de Mataznos. No início da noite ainda me aventurei a subir o monte para observação de estrelas junto ao Teide.

InShot_20230406_141107486.jpg

 

Dia 6: Anaga, Playa de las Teresitas, Santa Cruz de Tenerife e San Cristóbal de La Laguna

Durante a manhã explorei a região de Anaga, onde aproveitei as vistas dos miradouros e fiz o trilho sendero de los sentidos.

Depois fui até à Playa de las Teresitas onde era suposto ter passado algumas horas. Como o vento era insuportável, algo que é comum naquele local, não aguentei mais de uma hora.

Desta forma, fiquei com mais tempo para ir conhecer a capital Santa Cruz de Tenerife e a cidade San Cristóbal de la Laguna.

InShot_20230406_143021568.jpg

 

Dia 7: Puerto de la Cruz e Parque Nacional do Teide

Passei a manhã na Playa Jardín, em Puerto de la Cruz. Durante a tarde tive a incrível experiência de subir ao vulcão de teleférico e percorrer o trilho até ao Mirador Pico Viejo.

InShot_20230406_143347899.jpg

 

Dia 8: Puerto de La Cruz e voo de regresso pela Vueling

Aproveitei a manhã para explorar as ruas de Puerto de la Cruz. Ao início da tarde fiz a viagem de regresso a Lisboa.

InShot_20230406_144735994.jpg

 

A descrição completa dos locais que visitei neste roteiro encontra-se no guia sobre o que ver e fazer na ilha de Tenerife.

 

Experiências na ilha de Tenerife:

Tenerife é um destino ideal para quem procura conciliar uns dias de praia e de natureza. Para quem gosta de umas férias com mais aventura, destaco aquelas que considero ser experiências imperdíveis neste destino.

 

  • Visitar o vulcão Teide
  • Trilhos no Parque Nacional doTeide
  • Observação noturna de estrelas no Teide
  • Passeio de barco até Los Gigantes e nadar na baía de Masca
  • Trilhos na região de Anaga
  • Desfrutar das melhores praias do oeste e sul da ilha
  • Piscinas naturais no norte da ilha

 

As minhas conclusões sobre Tenerife:

Tenerife surpreendeu pela diversidade de paisagens que oferece. Percorri várias cidades de estilo colonial entre uns mergulhos nas praias ou em piscinas naturais. Caminhei numa floresta laurissilva e fiquei encantada com as paisagens vulcânicas.

Considero que é um destino para quem gosta de conciliar a parte cultural com praias e caminhadas de natureza. As ilhas Canárias não são as ilhas Baleares e quem procura Tenerife apenas para ir à praia pode ficar desiludido, principalmente se ficar no norte da ilha onde a areia é escura e com pedras à mistura. Contudo, as piscinas naturais são uma excelente atração desta ilha. Na minha opinião, é na zona sul e oeste que se encontram as melhores praias.

A região de Anaga é mais outro tesouro de Tenerife onde a imponente vegetação verde contrasta com as paisagens desertas.

Não desci totalmente até Masca e conduzi apenas um pouco da vertiginosa estrada até ao miradouro com vista para a aldeia. Mais tarde, num passeio de barco a partir de Los Gigantes, tive a oportunidade de nadar na sua baía de águas translúcidas e ainda observar golfinhos no seu habitat.

O que mais me fascinou neste destino foram as espetaculares paisagens em redor do vulcão Teide. O pico mais alto de Espanha é um local incrível e único nesta ilha. Em qualquer um dos vários trilhos que existem, o contacto com as impressionantes paisagens vulcânicas do parque nacional do Teide é sensacional. Passei pelo parque num total de três vezes, em dias e horários diferentes para realizar várias experiências. Em todas elas fiquei encantada com os miradouros e a imensidão das paisagens.

Ficou a vontade de explorar outras ilhas das Canárias.

 

Ler também: Guia sobre o que ver e fazer na ilha de Tenerife

 

Boa Viagem!

Titi