Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Titi já volta

A Titi já volta

Malta: quando ir, o que visitar e onde ficar

Uma viagem pelas ilhas de cavaleiros

 

O país Malta consiste em 3 ilhas: Malta, Gozo e Comino. É o país mais pequeno da União Europeia, mas é o oitavo estado membro com maior densidade populacional e a segunda ilha mais populosa do mundo. Isto significa que apesar de se tratar de uma ilha a agitação e trânsito estão garantidos.

 

20211013_140923.jpg

 

O Maltês é a única língua semítica escrita com o alfabeto latino. O inglês é outra língua nacional que se fala em todo o lado.

Malta tem-se tornado um destino bastante popular na escolha das férias dos portugueses. Isto deve-se ao facto de existirem voos diretos e acessíveis a partir de Lisboa (airmalta) e do Porto (ryanair).

Foi em outubro que apostei em Malta como destino de uma semana de férias. Antes da viagem tinha várias dúvidas na minha cabeça.  Qual seria a melhor zona para ficar alojada e o melhor transporte para os vários locais que pretendia visitar. Quando escolho um destino começo sempre por selecionar os locais que considero obrigatórios conhecer e depois tento conciliar o alojamento e os transportes.

Em 2021 Malta condicionou a entrada no país apenas a turistas vacinados.

Atualmente, algo que não pode ficar esquecido e deve ser o primeiro passo quando se reserva uma viagem é incluir um seguro que cubra qualquer imprevisto relacionado com a COVID-19.

Neste post descrevo algumas recomendações e sugestões, baseadas na minha experiência, para quem pretender visitar Malta.

 

Quando visitar Malta?

 

Malta tem um clima mediterrânico. Na primavera e outono as temperaturas são amenas.

O verão é seco, muito quente e também turisticamente muito movimentado.

Em outubro experienciei todas as estações do ano numa semana. Houve dias de sol e outros mais nublados e até chuva. Por esta razão, fui adaptando o meu roteiro de acordo com a previsão meteorológica e visitei as praias nos dias de sol.

Malta é um destino cultural que pode ser visitado em qualquer altura do ano. Quem pretender fazer alguns dias de praia e também visitar os locais mais culturais, como eu fiz, aconselho na primavera ou outono.

Se o objetivo principal é aproveitar as praias o verão é a altura mais adequada. No entanto, na minha mais sincera opinião existem outros destinos com melhores praias para aproveitar nas férias de verão. No verão as temperaturas são altas e não irá conseguir absorver os locais mais culturais das ilhas. Além disso, o trânsito é caótico nesses meses.

 

Qual a melhor forma de deslocação nas ilhas?

 

Ao contrário do que habitualmente faço em outras ilhas, não aluguei carro.

O aluguer do carro permitia mais liberdade na gestão do roteiro e seria mais rápido chegar a alguns destinos. Não o fiz porque a condução em Malta é pela esquerda e o estacionamento nas cidades poderia ser um problema. A circulação ao contrário nas rotundas foi o que me fez mais confusão e ainda cheguei a ver alguns carros em contramão.  

Optei por andar de transportes públicos e por isso a gestão do tempo teve de ser bem controlada. Na chegada ao aeroporto de Malta adquiri o cartão de transporte de autocarro “explore card”. Teve o custo de 21 € e permitiu viagens ilimitadas durante 7 dias.

 

20220108_183704.jpg

 

Existem outras opções de cartões de transporte de acordo com a utilização prevista. Pode consultar essa informação no site dos transportes públicos de Malta.

A rede de autocarros é grande e está organizada. Contudo, a partir das 17 horas o trânsito ficava mais intenso e os autocarros viajavam com lotação máxima. Em várias paragens não chegavam a parar e via o desespero na cara de alguns passageiros. A minha sorte foi que normalmente entrava no autocarro nas primeiras paragens dessa linha. Imagino que no verão seja ainda mais complicado.

Também cheguei a utilizar a aplicação bolt para chegar mais rápido a alguns locais, como expliquei nos diários. É simples, rápido e muito cómodo.

A viagem da ilha de Malta até Gozo foi de ferry a partir de Cirkewwa. Teve o custo de 4,65€ e a travessia só se paga no sentido Gozo-Malta.

Visitei a ilha de Comino desde a ilha de Gozo. É em Mgarr que saem os barcos desde 10€ ida e volta com vários horários ao longo do dia. 

 

Onde ficar alojado em Malta?

 

Face à minha escolha de transporte, tentei encontrar alojamento nas zonas que mais iriam facilitar as deslocações.

Foram vários os relatos que li de viajantes a aconselharem dispensar alguns dias na ilha de Gozo. E foi isso mesmo que fiz. Uma vez que o voo de regresso a Lisboa seria muito cedo, optei por ficar logo as primeiras duas noites alojada na ilha de Gozo para explorar esta ilha e a ilha de Comino. Depois retornei à ilha de Malta onde fiquei as restantes noites para conhecer os encantos desta principal ilha Maltesa.

Não faltam opções de alojamento, desde hotéis, aparthotel e apartamentos.

A minha escolha na ilha de Gozo foi o Hotel Duke Boutique na capital da ilha de Gozo. Localizado no centro da ilha e com uma rede de autocarros para todos os locais da ilha. Foi uma excelente escolha e onde mais absorvi a cultura dos malteses.

 

InShot_20220104_221403430.jpg

 

Na ilha de Malta fiquei alojada no Bayview Hotel localizado em Gzira, ao lado de Sliema, próximo de Valletta e a cerca de uma hora dos locais que fui visitando diariamente.

 

InShot_20220104_221800244.jpg

 

Esta localização foi ideal para utilizar os transportes públicos e percorrer toda a ilha. No entanto, por se tratar de uma zona turística, tudo parece feito para agradar os turistas e é mais difícil perceber quem são os malteses. Nesta zona não existem praias com areia e apenas algumas entradas para nadar no mar ou piscinas construídas sobre o mar.

Quem pretender visitar apenas os locais mais culturais deve procurar alojamento em Valletta, Mdina ou Rabat.

Se o intuito principal for fazer praia é no norte da ilha, nomeadamente em Paradise Bay, Golden Bay ou Mellieha Bay, que deve procurar alojamento. Mas as distâncias a partir daqui para os restantes locais em volta da ilha é maior.

 

O que visitar?

 

Há muito para ver e visitar neste país.

A duração da viagem e o interesse pessoal limitam a escolha do que visitar.

Através dos meus diários de viagem é possível perceber o que pode visitar nas três ilhas em uma semana. Isto sempre de acordo com os meus gostos pessoais e do meu ritmo de viagem. Existiram dias mais preenchidos e outros mais calmos.

 

          Dia 1 - O início da viagem a Malta

20211010_144954.jpg

 

          Dia 2 - O paraíso da Lagoa Azul

20211011_103016.jpg

 

          Dia 3 -  A encantadora Ilha de Gozo

InShot_20211109_202035302.jpg

 

          Dia 4 - Sentir a alma da capital Valletta e das Três Cidades

InShot_20211115_142055784.jpg

 

          Dia 5 - A vila dos barcos com olhos e a mais bonita gruta de Malta

InShot_20211119_164002707.jpg

 

          Dia 6 - A medieval Mdina, a história de Rabat e a melhor praia de Malta

InShot_20211203_212003238.jpg

 

          Dia 7 - A fascinante Vila do Popeye e as praias do norte da ilha de Malta

InShot_20211204_203042463.jpg

 

Gastronomia:

 

A cozinha maltesa tem vários pratos com ingredientes de produção ou origem local. Tem uma influência da cozinha italiana, espanhola e moura.

O coelho é o prato mais popular e o pastizzi é o snack mais apreciado. Trata-se de um folhado recheado com queijo, ervilhas ou carne.

Existem várias opções a vários preços. A grande maioria de restaurantes são sem dúvida os restaurantes com influência italiana. Pizzas e pastas não faltaram nesta viagem.

 

InShot_20211011_225131530.jpg

 

As minhas conclusões sobre Malta:

 

Após mais de um ano sem sair do país devido à pandemia e após alguma indecisão, acabei por escolher um destino que não estava no início da minha infinita lista de desejos mundiais. A aposta foi Malta e não poderia haver melhor opção, principalmente por ser no início do outono.

Este destino, a três horas de Portugal, foi a lufada de ar fresco por que ansiava.

Foi uma viagem repleta de atrações naturais, culturais e históricas. Malta é um país multicultural e em alguns momentos foi difícil perceber quem por ali era o verdadeiro maltês.

Mas a cultura maltesa tem características muito próprias e é nos locais menos turísticos que a podemos vivenciar.

A sua história teve várias influências. Todos os monumentos culturais têm uma história associada e saí deste país a falar dos cavaleiros da ordem de Malta.

Os primeiros dias foram passados nas mais pequenas ilhas maltesas. Cada ilha mostra algo diferente. Em Gozo a natureza, as caminhadas e mergulho são as maiores atrações. Comino tem a Lagoa Azul com uma das mais pitorescas vistas do mediterrâneo.

A viagem pelas três ilhas tornou a experiência mais aventureira e completa. Foram várias as atividades que preencheram os dias, como snorkelling, passeios de barco e caminhadas.

Malta não tem muitas praias de areia. Ao longo de Sliema e St. Julian´s os banhos de mar são em piscinas nas rochas e as poucas praias de areia que existem costumam ficar lotadas no verão. É por esta razão e pela questão dos transportes que só aconselho a visita no verão a quem apenas procura atividades aquáticas.

Este país já serviu de pano de fundo a muitas produções de cinema. Existe uma vila que foi inteiramente construída para o cinema e outros locais depois de aparecerem em séries ganharam ainda mais interesse turístico.

Contudo, Malta não tem só aspetos positivos. As ruas são sujas e ao lado de um edifício imponente pode estar um edifício degradado. Vi muito lixo no mar, principalmente na famosa janela azul na ilha de Gozo. Refiro isto para não criarem a ilusão de que tudo é bonito.

A arquitetura das marquises foi algo que adorei e irei guardar para sempre na minha imaginação quando pensar em Malta.

Se procura uma viagem com um misto de história, arquitetura, paisagens de natureza e algumas praias este é o destino certo.

 

20211013_120954.jpg

 

Ficou com vontade de conhecer este país? Conte-me tudo nos comentários.

 

Boa Viagem!

Titi

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.