Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Titi já volta

A Titi já volta

Viagem pela Ligúria e Toscana

Parte 1: Roteiro na Ligúria

A ideia inicial desta viagem era conhecer Florença, por ser um destino onde já deveríamos ter estado num dos cruzeiros que fizemos. Juntámos mais alguns dias e fomos à aventura. O desejo de percorrer alguns quilómetros na região da Ligúria tornou esta viagem mais empolgante.

 

- LIGÚRIA -

 

20190701_140436.jpg

 

Dia 1 – Viagem Lisboa–Florença, visita a Lucca e La Spezia

 

No final de Junho de 2019 iniciámos esta viagem de madrugada, uma vez que às 6h50 partimos do Aeroporto Humberto Delgado até Florença, num voo da Tap. O voo teve a duração de 2h45.

 

20190630_060452.jpg

 

Na chegada ao aeroporto Amerigo Vespucci apanhámos um shuttle gratuito até ao local das agências de aluguer de automóveis. Foi num renault clio, alugado previamente online, que iniciámos a aventura pelas estradas italianas.

Por toda a Europa estava uma onda de calor.  Assim que colocámos o pé em Florença, sentimos imediatamente um calor bastante abafado uma vez que a temperatura rondava os 38ºC.


Após uma viagem de cerca de 70 Km chegámos a Lucca. O objetivo desta paragem foi almoçarmos e também percorrermos o centro histórico.
Lucca é uma pequena cidade medieval em que o centro histórico se encontra rodeado por muralhas renascentistas. Estacionámos fora das muralhas onde existem vários parques, alguns grátis e outros pagos.

Existem 6 portas de entrada de acesso ao centro histórico: Santa Maria, San Jacopo, Elisa, San Pietro, Sant Anna e San Donato.

 

20190630_151624.jpg

 

O centro encontra-se bem conservado, as ruas ordenadas com edifícios medievais e existem muitas igrejas. Também é possível passear sobre as muralhas.

 

20190630_151323.jpg

 

A Piazza de San Michele é o coração da cidade e onde se encontra a igreja San Michele in Foro.

 

20190630_150139.jpg

 

A via Fillungo é a principal rua que atravessa todo o centro histórico. Nesta via encontramos a Torre delle Ore que pelo custo de 4€ e subindo 207 degraus se tem uma vista sobre a cidade.

 

20190630_145815.jpg

 

A Piazza dell` Anfiteatro originalmente foi um anfiteatro romano onde os gladiadores lutavam. Atualmente, trata-se de uma arena cercada por casas onde existem restaurantes e bares com esplanadas.

 

20190630_142122.jpg

 

20190630_142240.jpg

 

As principais lojas de Lucca encontram-se na via Fillungo e via San Paolino.
A basílica de San Frediano é outra importante igreja, em que o mosaico no topo da fachada representa a ascensão de Cristo.

 

20190630_141832.jpg

 

O compositor italiano de ópera, Giacomo Puccini, nasceu em Lucca. Na Piazza Cittadella encontra-se a sua casa que hoje é um museu.
O centro histórico é facilmente percorrido a pé, pelo que se tornou um agradável passeio medieval.

 

Continuámos a viagem por mais 75 Km até La Spezia. Foi nesta cidade que pernoitámos as três noites seguintes, num apartamento alugado no airbnb.
La Spezia é uma grande cidade que possui um dos maiores portos militares e comerciais de Itália. Localiza-se no centro da Ligúria, fazendo parte do Golfo dos Poetas, e é um bom ponto de partida para uma visita às Cinque Terre.
O apartamento em que ficamos alojados situa-se numa zona mais residencial, em La Spezia Migliarina, ficando a alguma distância do centro e zona histórica da cidade.
Após nos acomodarmos, o resto do dia foi passado a descansar.

 

Dia 2 - La Spezia, Portovenere e Cinque Terre

 

Neste dia fomos conhecer Portovenere e as cinque terre. Estacionámos o carro em Park Palaspezia, um parque grátis próximo do apartamento e que providencia um shuttle bus ao longo do dia até à Via Chiodo Giardini, de onde é possível percorrer o centro a pé.

 

20190701_091637.jpg

 

As principais formas de acesso às cinque Terre são o ferry e o comboio, sendo que de ferry não é possível conhecer Corniglia. O acesso a Portovenere é realizado de ferry, autocarro ou carro.
Face ao dia de calor que estava previsto e a viagem de barco ser mais panorâmica, escolhemos o ferry como meio de transporte.

 

20190701_093821.jpg

 

Na zona da marina, em passeggiata Morin, encontramos os ferrys do Consorzio Maritimo Turistico 5 Terre Golfo dei Poeti. Existem várias opções de bilhetes. O bilhete diário de 35€ permite entrar e sair as vezes que se quiser independentemente do sentido pretendido. Face aos horários de regresso, compramos o bilhete de 27€ em que inclui todas as paradas num só sentido e na volta regressámos de comboio. Esta foi a melhor opção para conseguirmos ficar em Monterosso até mais tarde.

 

20190701_100557.jpg

 

20190701_155359.jpg

 

Já no interior do ferry, e com bonitas paisagens da marina de La Spezia, iniciámos a viagem até Portovenere. É também apelidada de sexta terre por igualmente merecer uma visita e é também conhecida por ser um dos principais produtores de pesto da região.

Portovenere é uma vila medieval que cresceu em torno de um castelo.

 

20190701_120510.jpg

 

20190701_103239.jpg

 

Na Via Capellini encontram-se as portas da vila com vários cafés e restaurantes. A partir daqui explorámos o centro que é pequeno e facilmente percorrido. Merecem uma visita a igreja de São Pedro e a Igreja de São Lourenço. As vistas sobre o mar são magníficas e o passeio pelas estreitas ruas é encantador.

 

20190701_110707.jpg

 

20190701_103242.jpg

 

20190701_103550.jpg

 

20190701_103838.jpg

 

20190701_104621.jpg

 

20190701_105450.jpg

 

20190701_105827.jpg

 

20190701_104840.jpg

 

20190701_103109.jpg

 

De volta ao ferry prosseguimos a viagem até as cinque terre. São cinco pequenas vilas centenárias de pescadores situadas à beira-mar na costa da Riviera Italiana. Têm uma beleza que entretanto foi descoberta pelos turistas. Todo o percurso marítimo até às cinque terre é muito bonito.

 

20190701_122524.jpg

 

Chegámos a Riomaggiore com a pequena marina cercada pelo bairro dos pescadores, que é a principal atração.

 

20190701_132959.jpg

 

20190701_123500.jpg

 

20190701_131747.jpg

 

20190701_131739.jpg

 

É a vila mais populosa das cinque terre e existem algumas ligações por túneis para facilitar o acesso ao centro e à estação de comboios. Percorremos a rua central da vila, a Via Cristoforo Colombo, onde aproveitámos para comprar focacias, um pão achatado com várias coberturas e que é típico da região de Génova.

 

20190701_124423.jpg

 

20190701_131216.jpg

 

É possível visitar o Castelo de Riomaggiore, que são apenas restos de uma fortaleza, e a Igreja Santa Maria Assunta.

Em Riomaggiore existe a Via del amor, que é um passeio à beira-mar até Manarola. Este trilho encontra-se temporariamente fechado devido a desabamentos de terra, mas o seu início permite uma bela vista sobre o mar.

 

20190701_130906.jpg

 

20190701_130840.jpg

 

Regressámos ao ferry e a próxima vila foi Manarola. Trata-se de mais uma vila encantadora com uma fascinante vista sobre o mar e típicas casas coloridas. Os primeiros 200 metros do trilho da via del amor encontram-se abertos, permitindo fotos panorâmicas sobre as casas e também sobre o mar rodeando as rochas.

 

20190701_140209.jpg

 

20190701_140438.jpg

 

20190701_142554.jpg

 

A via di Mezzo é a rua principal de Manarola onde encontramos lojas e restaurantes.

 

20190701_141821.jpg

 

Continuando a viagem de ferry, vislumbrámos Corniglia no alto da montanha. Esta é a única vila que não visitámos uma vez que não possui porto, por se localizar numa colina. O acesso pode ser feito de comboio ou autocarro.

 

20190701_144513.jpg

 

De seguida atracámos em Vernazza, localizada numa estreita baía. A praça à beira-mar é o local mais animado, com restaurantes e com vista sobre o mar e a igreja Santa Margherita.

 

20190701_145630.jpg

 

20190701_145750.jpg

 

20190701_152246.jpg

 

20190701_152326.jpg

 

A partir da praça central temos acesso a um emaranhado de ruelas. Visitámos o Castello Doria com a Torre Belforte. Trata-se apenas de uma fortaleza que servia de ponto de observação. A visita apenas compensa pela vista panorâmica sobre a vila e o mar.

 

20190701_151717.jpg

 

20190701_151421.jpg

 

20190701_151058.jpg

 

O calor era insuportável, pelo que aproveitámos a baía para nos refrescarmos.

De regresso ao ferry seguimos caminho até Monterosso al Mare, a última vila que faz parte das Cinque Terre. Esta vila encontra-se rodeada por plantações de uva e oliveiras. Encontra-se dividida entre a parte histórica, com construções medievais, e o centro moderno com área residencial e turística.

 

20190701_160743.jpg

 

20190701_161408.jpg

 

O ferry atraca na zona histórica. Visitámos a igreja São João Batista na praça principal.

 

20190701_182121.jpg

 

20190701_182517.jpg

 

Nesta zona recomendo a gelateria Golosone que tem gelados muito saborosos.

 

20190701_183846.jpg

 

20190701_183903.jpg

 

Em Monterosso encontramos uma verdadeira e extensa praia balnear com areia. E foi na praia Fegina que passámos o resto do dia, na apetecível água quente do mar.

 

20190701_174203.jpg

 

20190701_181156.jpg

 

20190701_165935.jpg

 

No final desta praia existe a estátua de Neptuno, deus do mar, que a seus ombros leva uma grande concha. Esta estátua estava em reconstrução.

 

20190701_173506.jpg

 

Regressámos a La Spezia de comboio. A viagem demorou cerca de 20 minutos e saímos na estação La Spezia Centrale. Percorremos a rua pedonal até à via Chiodo, onde apanhámos novamente o autocarro grátis até ao parque Palaspezia onde tínhamos o carro estacionado. Como já era perto das 20 horas, apanhámos o último autocarro de regresso.

 

Foi um dia bastante completo e recheado de magníficas vistas. Portovenere e as Cinque Terre merecem sem dúvida uma visita. Em termos visuais vou eleger Manarola. A praia de Monterosso foi uma agradável e refrescante surpresa devido ao calor.

Além disso, a viagem de barco tornou o passeio muito mais panorâmico e encantador.

 

Dia 3 - Portofino, Santa Margherita Ligure e Sestri Levante

 

Iniciámos mais um dia quente de viagem. O programa principal deste dia foi conhecer um dos locais mais exclusivos de Itália, Portofino, e depois passámos algum tempo numa praia.

Fizemos o percurso desde La Spezia até Rapallo por autoestrada, passando por bastantes túneis.

Demorámos cerca de 1 hora até chegarmos a Portofino. Este era um local que tínhamos bastante curiosidade de conhecer, por toda a história que  o envolve e pelos postais que costumamos ver na imprensa.

O acesso a Portofino é realizado a partir de Santa Margherita através de uma estrada que em algumas zonas é bastante estreita. É também possível apanhar um autocarro, um ferry ou ir a pé desde Santa Margherita.

Optámos por ir de carro, passando pela estrada que circunda a costa com paisagens muito bonitas, e passando por uma conhecida praia, a Praia Paraggi.

Assim que chegámos a Portofino estacionámos no único parque de estacionamento que existe na Piazza Martiri della Libertá. Este parque é pago e na época alta custa cerca de 5€ por hora. Fazendo as contas iríamos gastar mais indo de autocarro e deixando o carro num estacionamento em Santa Margherita. Além disso, já sabíamos que não iríamos demorar muitas horas devido à dimensão de Portofino.

A partir do estacionamento percorremos a principal rua, a Via Roma, com várias lojas luxuosas e de conhecidos alfaiates. Esta rua vai dar até à Piazzeta, circundada de restaurantes, e ao Umberto Pier, o porto repleto de yats de luxo.

 

20190702_121209.jpg

 

20190702_121543.jpg

 

20190702_121706.jpg

 

20190702_122449.jpg

 

Portofino é uma comuna Italiana, a sudeste da cidade de Génova, que se encontra cercada por casas e pequenos prédios coloridos numa arquitetura rústica.

É facilmente percorrido a pé. É notado um ambiente requintado e glamour justificados pelas pessoas que habitualmente frequentam as suas lojas e restaurantes. Este pequeno lugar de Itália tem fama internacional, sendo um dos locais mais exclusivos deste país. As pessoas chegam e partem nos seus yats que podemos ver ao longo da costa.

A partir do porto fizemos uma caminhada até ao Castelo Brown. A entrada custa 5€ e hoje em dia é um museu. No passado, serviu como ponto de observação para controlar a vila pois a partir daqui conseguimos ver toda a vila com deslumbrantes paisagens sobre o porto.

 

20190702_132701.jpg

 

20190702_125231.jpg

 

20190702_125249.jpg

 

20190702_131458.jpg

 

20190702_132002.jpg

 

Uma das casas da imagem abaixo pertence à dupla de estilistas e criadores da marca Dolce & Gabbana. Têm coleções inspiradas neste local.

 

20190702_125240.jpg

 

No museu encontramos uma maquete representativa de Portofino, um filme e várias fotografias de personalidades que foram apanhadas nas suas visitas a Portofino.

 

20190702_130023.jpg

 

20190702_130009.jpg

 

No caminho de regresso até ao porto visitámos a Igreja San Giorgio e passámos por algumas lojas de artesanato. Depois visitámos a Igreja San Martino.

 

20190702_132743.jpg

 

20190702_140433.jpg

 

20190702_135939.jpg

 

20190702_135210.jpg

 

Terminada a nossa visita nesta linda vila de charme regressámos até Santa Margherita. Fica a apenas cinco quilómetros e foi onde fizemos mais uma paragem.

Santa Margherita é uma cidade maior, com várias praias e hotéis ao longo da avenida à beira-mar. Passeámos por esta avenida e pelo centro, onde almoçámos.

 

20190702_144336.jpg

 

20190702_151440.jpg

 

20190702_151446.jpg

 

20190702_151807.jpg

 

Uma vez que as praias nesta zona são de pedra e não têm areia, prosseguimos a viagem até Sestri Levante. Tinha lido algumas recomendações de uma praia chamada Baia del Silenzio em Sestri Levante, e foi para lá que fomos.

 

20190702_174753.jpg

 

20190702_174756.jpg

 

20190702_174803.jpg

 

20190702_180906.jpg

 

Esta pequena praia tem uma vista muito bonita sobre um mar calmo. A praia é conhecida por ter sombra da parte da tarde, o que para nós foi ótimo face às altas temperaturas do dia. Ficámos durante algum tempo a descansar e a aproveitar para uns mergulhos.

 

No percurso de regresso ao apartamento iniciámos a viagem sem ser por autoestrada. Depois de percebermos as condições da estrada e o tempo que iríamos demorar decidimos voltar pela autoestrada. Chegámos a La Spezia ao anoitecer. Este foi mais um agradável dia com imagens encantadoras dos locais por onde passámos.

 

... continuar a ler - Parte 2: Roteiro na Toscana

 

 

Titi